SAUDADES, VALPARAÍSO/SP.

Dia 8 de abril de 2012 foi meu último dia como Juiz de Direito Titular da Comarca de Valparaíso-SP, local em que atuei por quase quatro anos e, com a graça de Deus, fui muito feliz!

Despeço-me dos servidores, advogados e jurisdicionados daquela Comarca com uma ponta de tristeza, e já trazendo comigo muitas saudades! Agradeço a todos pelo rico convívio e pelo eterno aprendizado que me proporcionaram, nos aspectos pessoal e profisional. De fato, com vocês muito aprendi e, sobretudo, cresci. A estadia aí foi profícua!

Com o trabalho em equipe dos incansáveis servidores do Judiciário, auxiliado pela colaboração e compreensão dos advogados, tentamos levar nossa parcela de contribuição na construção de um mundo melhor.

Agora chegou a hora de novos desafios. Saí, mas a riqueza do nosso convívio veio comigo, nas lembranças e no coração.

A correria dos últimos dias não me permitiu despedir-se de todos. Por isso, sintam-se todos abraçados por aqui!

MARCELO YUKIO MISAKA.

Anúncios
  1. MANOEL
    5 de julho de 2012 às 13:18

    DE UMA COISA E CERTA VOSSA EXCELENCIA E MUITO CORRETO PORISSO DEIXOU SAUDADES EM VALPARAISO,AGORA EM PENAPOLIS IRA ARRUMAR A CASA,LINDA FRASE ONDE DIZ JULGAR COM CIENCIA E CONCIENCIA.

  2. Bartira Pontes
    11 de junho de 2012 às 17:35

    Caro sr. Juiz Marcelo Yukiu, eh com alegria que encontro o seu blog e seus canais digitais. Pelo conteúdo a mim parece que o senhor eh comprometido e orientado pelos recursos da lei que prevêem a justiça como objetivo. Minha formação eh a comunicação, sou publicitaria e nao entendo muito de leis. Como cidadã do Brasil, entendo que temos fragilidades no sistema judiciário ( assim como em tantos outros sistemas públicos e privados), e hoje o que me entristece eh sobretudo a condição carcerária. Conheco uma pessoa que esta há 1 ano e 3 meses encarcerada em prisão preventiva. O processo corre na vara de Penapolis, e a acusacao eh de um delito coletivo.
    Entendo as condições e o tempo para a lei ser executada, mas nao entendo como um delito dado como coletivo pode promover a liberdade de uns e o cárcere sem julgamento de outros, sendo que todos são acusados pela mesma coisa, e os libertos por vezes possuem históricos criminais agudos em recencia e natureza de suas acusações.
    Nao tenho condições técnicas para avaliar a questão, mas mora em mim um sentimento difícil de conviver e que se agrava com a perspectiva de que em ocasiões como esta um detento sem julgamento, e sem uma percepção maior da vida, possa se converter para um caminho que alimenta a injustiça.
    Peco desculpas por tomar este espaço de comentário para dividir esta percepcao com senhor. E em tempo, desejo sucesso e prosperidade sempre.

  3. Ricardo
    10 de abril de 2012 às 08:26

    Tenho muita alegria de considerá-lo como uma pessoa querida e amigo e este carinho aqui demonstrado pelos seus funcionários e outros mais só confirma, este comportamento teu diante das pessoas e da vida só solidifica mais ainda a admiração que temos por vc. Parabens. Não dá para evitar mudanças nas pessoas, por que somos dinámicos e aprendemos, porisso espero e torço que continue a mudar, mas, sempre pra melhor, como tenho notado. Parabens – Ricardo Cabral Miranda

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: